Notícias

Estado prepara reforma administrativa ainda no 1º semestre

Cuiabá - MT, postado em 13.03.2018 às 16:55hs | Fonte: Diário de Cuiabá | Por: Kamila Arruda

A fim de reduzir os gastos públicos e garantir o equilíbrio fiscal diante do atual cenário econômico do país, o governador Pedro Taques (PSDB) garante que irá promover mais uma reforma administrativa no Executivo Estadual ainda no primeiro semestre deste ano. 

A proposta está sendo elaborada pela equipe econômica do Estado desde o final do ano. Ela pode culminar em fusão ou extinção de secretarias e autarquias, assim como redução do quadro de pessoal por meio de um plano de demissão voluntária e a implantação de outras medidas de contenção de despesas que possam assegurar o equilíbrio fiscal nos próximos anos. 

“Existe espaço para cortar gastos, diminuir o tamanho da máquina. Nós já fizemos três reformas administrativas e estamos trabalhando em uma outra reforma para diminuir o tamanho do Estado. Sempre lembrando que o Estado não precisa ser grande ou pequeno, ele tem que ser eficiente, tem que ser do tamanho que supra a necessidade do cidadão nas políticas públicas”, disse o tucano. 

Outro problema que vem sendo atacado pelo Governo com o intuito de aumentar a arrecadação do Estado é a sonegação fiscal. Taques afirma que com o Comitê Interinstitucional de Recuperação de Ativos (CIRA) já foi possível recuperar R$ 1,2 bilhões em impostos. 

De acordo com o chefe do Executivo, os trabalhos devem ser intensificados para que o retorno seja ainda mais representativo para os cofres públicos. 

“Sobre o combate à sonegação fiscal nós estamos trabalhando muito em cima disso também. Aliás, o nosso Governo além de economizar R$ 1 bilhão com o custeio da máquina, trouxemos para os cofres públicos R$ 1,2 bilhão de sonegação de impostos. Isso através do CIRA, que foi a nossa administração que criou. Portanto, nós estamos fazendo o nosso papel”, ressaltou o tucano. 

Além disso, o Governo também trabalha na criação do Fundo de Estabilidade Fiscal para auxiliar a superar a crise financeira. De acordo com o governador, a proposta já possui o apoio de diversas entidades do Estado. 

“Nós temos várias entidades que já concordaram com o Fundo como, por exemplo, os atacadistas, o setor de material para construção, álcool, temos vários frigoríficos, enfim. Vários segmentos da indústria já concordaram com o fundo e do agronegócio também. Agora, o dialogo ainda é grande. Estamos conversando com diversos setores para que isso possa ser resolvido”, frisa. 

Taques afirma que o projeto referente a criação deste Fundo só será encaminhado à Assembleia Legislativa após encerrar o diálogo com as categorias atingidas. 

“Neste momento, Mato Grosso tem aumentado a arrecadação, tanto que pagamos o Banco Of American e pagamos o salário dos servidores em dia. Para que possamos superar este momento de crise, temos que deixá-la de lado e trabalhar. O fundo só será apresentado após esses diálogos que nós estamos fazendo” afirma. 

O projeto vem sendo elaborado pela Secretaria de Fazenda sob o comando do secretário Rogério Gallo, e irá implicar na taxação de benefícios a empreendimentos contemplados por programas de desenvolvimento e isenção fiscal. 

A expectativa é arrecadar entre R$ 400 e R$ 500 milhões até o final do ano com este novo fundo. “É um fundo que visa o reequilíbrio fiscal. Em função de nós termos uma crise desde 2015, que reduziu receitas no Estado, em função de uma queda nos repasses da União também”, explicou Gallo.

Deixe seu comentário!

Veja Também

2018 - Todos os direitos reservados ao Website Servidores MT - A.A.DA COSTA PROPAGANDA - CNPJ 10.172.291/0001-59. Fale com a redação (65) 9984-1353 / contato@servidoresmt.com.br